Buscar
  • AZELAR

Como aumentar a segurança do edifício

Atualizado: 13 de Dez de 2020

Uma preocupação grande de síndicos, é em como aumentar a segurança do edifício e manter o conforto e segurança para os moradores. Leia o artigo para entender como aumentá-la.


A segurança é um dos principais fatores busca analisados por pessoas que desejam encontrar um local para morar.

Isso acontece, pois o número do índice de roubos em residências é extremamente maior em comparação aos edifícios. Existem edifícios que em décadas após a sua inauguração, não contém nenhum registro de roubos.


Agora no ano de 2020, a Secretária de Segurança de Segurança Pública de Goiás divulgou dados referentes à criminalidade em residências e, felizmente, teve uma redução de 7,10% em residências.

Porém, a demanda de pessoas em busca de apartamentos não caiu. E um dos principais motivos de busca continua sendo a segurança presente nos edifícios.


Percebendo isso, a Azelar preparou um conteúdo com o objetivo de ajudar síndicos a aumentarem a segurança de seus edifícios, e assim, valorizando-o.


Nesse artigo, você irá saber:


· Por onde começar

· Responsabilidade da segurança do edifício

· 5 dicas para aumentar a segurança do edifício

· 5 erros comuns na segurança do edifício

· Como escolher uma empresa de segurança



Por onde começar


Antes de qualquer tomada de ação, é preciso fazer uma análise completa da atual segurança do edifício. Observe quais são os pontos fracos e fortes, em seguida, busque melhorar os pontos fracos e otimizar/manter os fortes.


Para ter essa definição, faça os seguintes as perguntas:


· Há um registro de pessoas que entram e saem do edifício?

· O zelador é orientado de forma correta?

· Quais são os itens de segurança atuais? (Câmeras, biometrias etc)

· A segurança foi feita por uma empresa de confiança?

· Há alguma reclamação de algum morador?


Analisando essas perguntas, anote em um papel e defina os pontos fracos e fortes. Após isso, é o momento de buscar as alternativas para aumentar a segurança do edifício.



Reponsabilidade da segurança do edifício

Na grande maioria, os moradores de um edifício acham que a sua moradia é apenas da sua porta para dentro, porém tudo que esteja dentro da área do condomínio também faz parte residência dos moradores.


É dever também do morador contribuir com a segurança, como entrar pelo portão com o carro e fechar logo após manualmente sem esperar o fechamento automático.


Pequenas atitudes de moradores também é essencial para a segurança do edifício.


Porém, legalmente, a responsabilidade por essas questões é exclusivamente do síndico do condomínio.



5 dicas para aumentar a segurança em edifícios


1. Identificação de acesso: biometria


A identificação da entrada de moradores através da biometria vem sendo implantada constantemente, pois aumenta o nível de segurança do edifício de maneira considerável.


Nos condomínios que utilizam esse tipo de identificação, as digitais dos moradores são cadastradas em um sistema de dados fornecido pela empresa que prestou o serviço.


O processo de cadastrar ou descadastrar uma digital é todo feito por meio desse sistema de dados, portanto, o responsável por essa tarefa deve seguir padrões rígidos de segurança e ser de confiança do síndico.


Ainda há muitos prédios que utilizam a identificação por meio de senhas eletrônicas, porém são senhas fáceis e de poucos números, facilitando ações de ladrões.


Além disso, o sistema de liberação por senha possui um hardware de segurança com um déficit maior do que o de biometrias. Ou seja, a invasão do sistema por hacker é relativamente mais fácil.


2. Câmeras


As câmeras de segurança são um dos itens básicos para que a segurança do edifício seja feita de maneira correta.


Elas são utilizadas para que observe todas a movimentações suspeitas de diferentes ângulos.


Na instalação das câmeras, certifique-se de que ela possua um sistema confiável com armazenamento de informações para que guarde as gravações. As câmeras é o item mais utilizado na identificação de suspeitos ou criminosos.


Hoje em dia, o acompanhamento das câmeras pode ser feito de qualquer local que tenha acesso à Internet, e não em uma matriz central como era antigamente.


O próprio síndico, hoje em dia, pode ter acesso a câmera em tempo real e até falar por ela.


Assim, além de contribuir com a segurança do edifício, pode também ser um equipamento para o zelador comunicar com algum morador sobre o descumprimento de alguma regra do condomínio, não precisando sair da portaria.


3. Tenha um pulmão de segurança


Poucos sabem o que é um pulmão de segurança em um edifício. O pulmão de segurança são portões paralelos aos principais. São direcionados para grandes centros urbanos, onde há uma movimentação grande de pessoas.

O pulmão de segurança funciona da seguinte forma: vamos supor que você seja um morador e esteja saindo do prédio, abre o portão e não espera fechar. Nesse momento, aparece algum criminoso e aproveita que o portão está fechando e entra no prédio, porém, quando se depara com outro portão a frente percebe que não terá êxito e desiste da tentativa do crime.


O pulmão de segurança aumenta a segurança do edifício e traz mais tranquilidade para moradores.


Imagem de um pulmão de segurança:


Nas reformas prediais em Goiânia feitas por nós, conseguimos perceber uma demanda significativa por esse 2° portão.

4. Alarme sonoro


O alarme sonoro é colocado em locais em que pessoas não autorizadas não possuem acesso. Caso haja alguma violação, como a quebra da tranca de uma porta ou quebra de uma janela o alarme é disparado imediatamente na cabine do zelador/porteiro.

Os alarmes passaram a ser utilizados também em edifícios, fazendo com que aumentasse a segurança.

Geralmente, quando um alarme é acionado a pessoa tende a assustar e se afastar do local sem levar nenhum item.


5. Tome cuidado ao receber encomendas


A última dica é implementar o sistema de que o próprio morador vá receber a encomenda na portaria, evitando que receba diretamente no apartamento.


Se o morador não estiver presente no momento, o próprio porteiro recebe a encomenda, preenche um relatório e só entrega para o morador quando ele estiver presente e assinar o recebimento.


É uma outra excelente maneira de prevenir a ação de criminosos.


Os passos para aumentar a segurança do edifício também devem estar entre as manutenções periódicas em prédios.



5 erros comuns na segurança do edifício


Agora que falamos sobre as 5 dicas para aumentar a segurança em edifícios, vamos falar sobre os 5 erros muito comuns que prejudicam a segurança de um edifício.


São erros pequenos que geralmente passam despercebidos, porém que podem facilitar a ação de bandidos.


Erro 1 – Falta de treinamento da equipe do prédio e conscientização


O treinamento constante da equipe responsável pela segurança do edifício deve ser uma prioridade para a empresa responsável caso o serviço seja terceirizado.


Cheque com a empresa responsável o calendário de treinamentos programado. Observe também se empresa segue o padrão imposto pelo edifício.


Outro ponto importante é a conscientização do morados quanto a segurança do edifício.


É essencial cuidados básicos, como checar a rua antes de entrar com o carro, evitar a entrada de desconhecidos no prédio, evitar ficar com o celular exposto antes de estar dentro do local e etc.


Erro 2 – Não usar a tecnologia a seu favor


A tecnologia surgiu com a função de facilitar a vida das pessoas. Ignorar sua função em troca de sistemas de segurança analógicos pode ser uma grande perca de tempo.


Um sistema considerado simples para a programação como o registro de pessoas que entram para uma festa no condomínio, com certeza irá te economizar tempo e dinheiro.


Tempo pois o zelador responsável não precisará ficar anotando nomes de convidados, e dinheiro pois não vai ser gasto com materiais para tal fim e nem o morador terá que usar o elevador (gastar energia) para ir até a sala da portaria, entre outros possíveis eventos.


Esse simples sistema poderia fazer o morador colocar o nome de convidados na lista em seu próprio celular, e o zelador focar em outras funções mais importantes.


Erro 3 – Contratar empresas observando apenas custos


Em tempos de crise - ainda mais pela pandemia de covid-19 que causou uma crise não só local, mas global – guardar dinheiro pode ser uma excelente opção para condomínio.


Porém, quando falamos sobre a segurança do edifício, o dinheiro precisa ser bem destinado para que não ocorra nenhum escândalo de algum tipo de crime no prédio.


Quando for contratar uma empresa de segurança – claro, observe os custos – mas também observe o retorno que você terá com investimento na segurança do edifício.


Uma boa segurança passa tranquilidade para os moradores e uma visão positiva sobre o prédio para o mercado imobiliário, fazendo com que o valorize.


O síndico também ganha um grande reconhecimento caso consiga alcançar tais feitos, e assim, podendo chegar a ser melhor remunerado ou começar a ser dependendo da atual acordo com o condomínio.


Erro 4 – Desvio de funções


O desvio de funções em um condomínio é um dos erros mais comuns, se não o mais!


Não faz parte da função de um zelador ajudar um morador com as compras, por exemplo. Claro, é uma gentileza bem-vinda, porém os resultados disso (deixar a portaria sozinha) podem não ser bem-vindos.


Infelizmente, esse desvio de funções pode ocasionar a falta de segurança do edifício.


Portanto, o treinamento dos profissionais se torna essencial nesse momento para que eles cumpram apenas a função prevista no contrato.


É importante também conscientizar moradores sobre o assunto para que não seja vista como ignorância uma ajuda com as sacolas e acabe prejudicando o zelador.


Erro 5 – Descumprimento dos procedimentos de segurança

Por mais que seja um erro básico, geralmente é o mais difícil de resolver pois se trata de uma questão da cultura presente no edifício de moradores e funcionários.


O descumprimento dos procedimentos de segurança de um edifício se dá tanto pelos moradores quanto pelos funcionários.


Por parte dos funcionários, o motivo está ligado ao desvio de funções e falta de treinamento da empresa terceirizada.


Já dos moradores, está relacionada a cultura do edifício. Por isso, se torna mais difícil de resolver esse erro.


Essa cultura é representada por moradores que ficam com celulares e outros equipamentos eletrônicos muito a vista quando estão saindo ou entrando pela portaria, ou na hora de entrar com o carro não checa movimentações suspeitas pelo redor, entre outras atitudes.


Porém, é possível resolver esse problema incorporando essas atitudes no Regulamento Interno do Condomínio, após a convocação de uma Assembleia para tais fins.



Como escolher uma empresa de segurança


Caso o serviço de segurança do edifício seja terceirizado, é importante a empresa ter essas características para que mantenha altos níveis de segurança.


Hoje o mercado conta com diversas empresas que são responsáveis pela segurança dos edifícios, mas nem todas estão preparadas suficientemente para atuar, portanto é crucial a escolha certa para a boa convivência dos morados e funcionários.


Vale ressaltar, que essa leitura também é valida para síndicos que possuem empresas atuantes no seu condomínio, mas talvez não esteja muito satisfeito e seguro.


Para te ajudar a escolher a empresa certa, separamos 3 dicas essenciais na hora da escolha:


1 – Histórico da empresa


Busque pelas opções de empresas que apresentam um bom histórico, tendo uma boa reputação, nome no mercado e quais são os seus cases de clientes.


Vale ressaltar também, que nem sempre uma empresa muito antiga é a melhor opção, e nem uma empresa nova não seja uma boa opção.


Outro fator importante que já falamos acima, é sobre cronograma de treinamento da mesma. Aquelas que costumam treinar seus funcionários com frequência e qualidade, apresentam bons resultados do seu serviço.


2 – Busque referências com amigos síndicos


Qualquer empresa que valorize os clientes atuais, são aquelas que mais vão ter resultados futuramente sem precisar gastar com a aquisição de novos clientes. Isso acontece por conta da alta qualidade do serviço para os atuais clientes, fazendo com que eles indiquem para amigos a empresa.


Como você já percebeu que a segurança de um edifício é algo essencial, é válido a busca de empresas através de outros amigos síndicos que estão contentes com o serviço.


Busque por informações de empresas com amigos, e caso a empresa utilize os parâmetros de segurança aqui explicados, é certeza de que ela é a certa.


Faça a escolha certa e pesquise bastante antes, a segurança do seu edifício é algo primordial!


3 – Descubra o tipo de tecnologia utilizada pela empresa


A modernidade da tecnologia nas empresas, é um bom indicador de que elas se mantêm em constante treinamento e aperfeiçoamento das suas tecnologias.


A tecnologia facilita e aprimora a execução de uma boa segurança. Portanto, verifique quais são as tecnologias que a empresa utiliza.


Sejam ela câmeras de última geração, biometrias com sistemas mais seguros e entre outras.



Gostou do artigo? Siga o blog para mais notícias como essa e mande para algum amigo síndico.

45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Importância das reformas na casa para viver melhor

Não existem dúvidas de que o mercado imobiliário é muito competitivo, e principalmente em épocas de crise, como essa em que estamos passando devido à pandemia causada pelo coronavírus, ainda mais. De

Como transformar uma casa em uma casa inteligente?

Talvez falar sobre automação residencial ainda seja um conceito muito estranho para muitas pessoas. Embora cada vez mais pessoas apostem no conforto de uma casa com equipamentos de automação residenci

  • Instagram da AZELAR
  • Facebook da AZELAR

Rua Coronel Serafim Agapito, S/N Qd. 11 Lt. 04 Vila Maria José - Goiânia - Goiás

CEP: 74815-470 │ E-mail.: azelar@hotmail.com │Telefone.:  62 3241 8685